terça-feira, 13 de abril de 2010

Incentivo à leitura versus Obrigação

Desde muito tempo, alguns professores de Literatura tentam impor a leitura de determinados livros como obrigação a seus alunos, excluindo totalmente a liberdade de escolha sobre os títulos a serem lidos, assim prejudicando a relação mais íntima com os livros por parte do aluno, pois o que poderia se tornar prazer passa a ser uma obrigação desprovida de interesse. A tentativa de guiar alunos por uma lista composta por títulos de livros considerados consagrados pode ser bem intencionada, mas é falha.

Atividades envolvendo a Literatura de forma mais dinâmica e com liberdade de escolha e pensamento são fundamentais para que o aluno não veja a Literatura como um bicho de sete cabeças ou um castigo, mas que, pelo contrário, enxergue a leitura como prazer e uma importante absorção de conhecimento cultural, histórico e social, com idéias que possam ser refletidas na formação do aluno como ser humano e cidadão.

É preciso estimular a leitura sim. Porém, são necessários meios alternativos para diversificar a visão sobre a Literatura, estimulando os alunos através de questionamentos internos e externos sobre a realidade de um romance ou um conto, por exemplo, e a realidade social do aluno, comparando e interligando os contextos, demonstrando a importância real que a Literatura pode exercer sobre toda a humanidade.